Joomla

O que é JOOMLA! JoomlaFrontpage350

Gostaríamos de explicar o que é Joomla! (isso mesmo, com o ponto de exclamação ao final) da seguinte forma : você tem um website que cresceu ao longo do tempo e, embora ele cumpra seu papel, está ou esquecido no tempo, ou se tornando um "elefante branco".

Se a sua empresa é realmente ativa, tem constantemente novos clientes, produtos a serem divulgados, mensagens para seus parceiros e press-releases para a mídia, é natural que você queira publicá-los em seu site. Se não o faz, perde oportunidades de negócios, de divulgação e de fortalecer sua imagem institucional.

Não é exceção encontrar sites como os descritos acima atualizados pelo "webmaster" da empresa, o mesmo que cuida da rede interna, atualiza softwares e hardware e tenta limpar os vírus -, através de ferramentas como o Frontpage ou Dreamweaver.

Estas ferramentas foram concebidas para a criação de novos sites e visam estruturar o design, HTML (linguagem de apresentação das páginas) e outros componentes. Mas não são ideais para gerenciar novos conteúdos diários. Entre as limitações mais óbvias deste modelo, podemos salientar:

A administração do site geralmente fica atrelada a um computador específico, onde o software está instalado e configurado (senhas de FTP, licença de uso do programa, etc).

São comuns modificações acidentais nas páginas e em seus códigos, pois o conteúdo, neste caso, está misturado com a lógica de programação. Isto pode resultar em links quebrados, problemas de formatação, alterações no design e até mesmo a indisponibilidade do site como um todo.

Ao longo do tempo, as páginas criadas no seu site ficam "perdidas". É difícil implementar um mecanismo de pesquisa granular e organizar as informações em seções e categorias para que possam ser facilmente encontradas. A arquitetura da informação é comprometida, bem como a experiência e satisfação do usuário final.

Fazendo uma analogia à construção civil, é como se fizéssemos um "puxadinho" sempre que quiséssemos ampliar a casa.

Felizmente existe uma solução para isto: um sistema de gerenciamento de conteúdo, em português ou em inglês, CMS - Content Management System, cujo objetivo é exatamente o de estruturar e facilitar a criação, administração, distribuição, publicação, disponibilidade da informação e ampliação do seu site.joomla

Parece complexo, mas, sob o ponto de vista do usuário final, não é. Um CMS oferece ferramentas simples, todas acessadas através de qualquer navegador (Internet Explorer, Google Chrome, Safari, Firefox), que permite realizar todo o processo de gerência, desde a criação até o arquivamento do conteúdo.

É comum estar incorporado aos gerenciadores de conteúdo a possibilidade de cuidar desde a aparência do site até mesmo os menus de navegação.

Sob a ótica dos negócios

Existe uma gama de vantagens que um sistema de gerenciamento de conteúdo oferece, entre elas:

  • Estruturação do processo de autoria, no qual toda a sua equipe poderá contribuir, cada um na sua área de atuação e conhecimento

  • Diminuição do tempo necessário para a criação de novas páginas e atualizações das já publicadas

  • Harmonia estética com o resto do site e demais conteúdos

  • Melhor estruturação da navegação, mantendo a coerência com projeto inicial de arquitetura da informação

  • Maior flexibilidade, para acrescentar ou editar conteúdos de forma descentralizada e em qualquer lugar, dia ou noite, dentro ou não do escritório

  • Permissão granular de acesso às informações publicadas

  • Maior segurança

  • Gerenciamento de versão dos conteúdos

  • Escalabilidade

  • Diminuição dos custos de manutenção

Sistemas avançados de CMS possuem muitos recursos adicionais, como workflow (fluxo de tarefas), que permite que conteúdos sejam adicionados ao sistema, porém ainda não disponíveis aos usuários finais, até a aprovação final de um editor-chefe.

Conteúdos também podem ter data e hora de início e fim de publicação.

Em termos simples, um CMS permite que a empresa tenha total autonomia sobre o conteúdo e evolução da sua presença na internet e dispense a assistência de terceiros ou empresas especializadas para manutenções de rotina.

Nem mesmo é preciso um funcionário dedicado (o famoso webmaster), pois cada membro da equipe poderá gerenciar o seu próprio conteúdo, diluindo os custos com recursos humanos.

A habilidade necessária para trabalhar com um sistema de gerenciamento de conteúdo não vai muito além dos conhecimentos necessários para editar um texto no Word.

A boa notícia é que desde que foram criados, no final dos anos 90, os sistemas de gerenciamento de conteúdo vêm progressivamente diminuindo de preço e ampliando seus recursos.

Atualmente, o desenvolvimento de sites de tamanho reduzido pode ser feitos com orçamentos modestos. Obviamente, sites mais complexos têm um custo proporcionalmente mais elevado, como quase tudo na vida.

Esta breve explanação é apenas uma visão geral e introdutória às vantagens de se utilizar um sistema de gerenciamento de conteúdo. As soluções disponíveis diferem muito entre si, e o melhor a fazer é procurar empresas independentes, que já trabalharam ou avaliaram diversas soluções para encontrar o melhor sistema ao seu projeto.

Finalmente, o JOOMLA! joomla-15

Assim como outros CMS, o Joomla ajuda a resolver um problema muito comum, que é diminuir o custo de se criar e manter um website ou webportal razoavelmente complexo, repleto de recursos e conteúdo e que tenha que ser mantido por várias pessoas com pouco ou nenhum conhecimento técnico.

A forma tradicional de se produzir um website ou web portal é a de se utilizar uma equipe de designers e programadores para construir o site e publicar o conteúdo. Os autores e editores de conteúdo ficam na dependência do pessoal técnico para conseguir publicar seu material no dia a dia. Acrescentar novos recursos envolve bastante tempo e dinheiro. O Joomla e outros CMS foram criados para ajudar a aliviar este problema.

Como foi dito anteriormente, CMS é um acrônimo para Content Management System ou Sistema Gerenciador de Conteúdo. Atualmente o emprego mais popular desta sigla se refere especificamente ao gerenciamento de conteúdo web. Um CMS serve para ajudar você a criar um web site ou um web portal de forma rápida e eficiente. Até mais importante, serve para ajudar a publicar e administrar conteúdo web mais facilmente, inclusive por pessoas não técnicas - tudo isso à partir de uma "base" já pronta.

Uma grande parte das funções necessárias para fazer funcionar um website/portal são comuns e previsíveis, tais como login de usuários, criação , edição e publicação de conteúdo, publicação de banners de propaganda, etc. Em um CMS esses recursos já estão pré-programados e prontos para ser utilizados.

Além disso, o CMS é extensível, através da instalação de módulos e componentes que servem para agregar funcionalidades eventualmente não presentes na instalação básica (por exemplo, uma galeria de imagens ou fórum de discussão).

Muitos desses recursos estão disponíveis como componentes para download comercial ou gratuito na internet. Caso o usuário precise de uma funcionalidade e não encontre nenhum componente disponível na internet, ele mesmo pode programar ou contratar alguém para fazer isso.

Você pode então se perguntar : "Então um CMS é um modelo de website já pronto?", e a resposta é NÃO! Podemos dizer que um CMS é um framework, "um esqueleto" de website/portal pré-programado, com recursos básicos e de manutenção e administração já prontamente disponíveis. É algo muito mais sofisticado do que um "modelo de website", pois é um sistema que permite a criação, armazenamento e administração de conteúdo web de forma dinâmica, através de uma interface de usuário via web, não um mero conjunto de páginas HTML estáticas.

Obviamente a aparência de um website criado com um CMS é customizável, através da utilização de templates (estes sim "modelos visuais" de website), que podem ser facilmente substituídos.

Como não poderia deixar de ser, a utilização de um CMS apresenta algumas desvantagens. Como em todo framework, trabalhar com um "modelo" pré-concebido implica em aceitar algumas características, restrições ou limitações desse "modelo".

Por exemplo, o CMS Joomla foi escrito em uma linguagem chamada PHP e utiliza o banco de dados  conhecido com MYSQL, fatos que podem ser problema para alguns usuários. A aparência do site, apesar da relativa facilidade da customização, também fica de certa forma limitada pelo sistema de templates do CMS. O mesmo pode ser dito com relação a fatores como usabilidade e acessibilidade.

Por outro lado, os ganhos em produtividade e custo são enormes e, para uma grande parte dos casos, tornam essas limitações preocupações secundárias. A maioria dos CMS populares estão disponíveis na forma de software livre o que praticamente elimina os custos com licença de uso e garantem o acesso ao código-fonte. A presença de comunidades online crescendo em volta desses sistemas faz com que a mão de obra disponível torne-se cada vez mais abundante. Em outras palavras, um website baseado em Joomla faz parte de uma comunidade mundial de desenvolvedores nessa tecnologia, ou seja, o conhecimento não fica restrito a poucos profissionais.

Mas por que o Joomla? Elenco abaixo as principais respostas :joomla-book

  • Joomla é decididamente software livre e não há perspectiva de mudança com relação à isso (isto é, vai continuar disponível gratuitamente)

  • Existem milhares de módulos e componentes disponíveis

  • A popularidade do Joomla está crescendo rapidamente, logo, a sua comunidade, a equipe por trás do Joomla está fortemente comprometida com o projeto e está disposta a modernizar o software continuamente

  • É o CMS com mais recursos disponíveis e de fácil utilização

  • É escrito com PHP e MySql, dois dos softwares opensource mais populares da Internet

Tenho certeza de este CMS é a solução para os seus projetos.

Além disso tudo, como foi dito, uma das grandes vantagens de um CMS é a possibilidade de usuários não-técnicos poderem contribuir com artigos ou ajudar na manutenção do website/portal diretamente, sem depender de webdesigners e programadores.

O Joomla utiliza diferentes grupos de usuários, com nomes auto-explicativos e nível de permissões crescente:

  • Acesso ao "frontend" (o website/portal propriamente dito):

  • usuários registrados

  • autores

  • editores

  • publisher

Acesso ao "backend" (a interface web de administração)

  • manager

  • administrator

  • super administrator

Os usuários com acesso ao "frontend" podem criar conteúdo diretamente no próprio site, pois ao se "logarem" o Joomla oferece a opção de criação de conteúdo. Assim, usuários autores podem ser treinados e contribuir com seus artigos diretamente, sem depender de nenhum webdesigner.

Usuários editores podem alterar artigos de todos os autores. Usuários com permissão de "publisher" podem liberar os artigos para acesso ao público.

Utilizando o "backend", que é uma interface web separada do site propriamente dito, os usuários administradores podem criar novas seções, novas categorias, arquivar artigos, instalar novos módulos ou componentes, trocar o template visual do site, etc.

O  Joomla elimina totalmente a necessidade de usuários com conhecimento técnico?

A resposta é não. Para fazer a instalação, customização e manutenção do Joomla, algum conhecimento técnico será necessário. Mas a boa notícia é que esse conhecimento é adquirível por qualquer pessoa disposta a estudar o assunto. Em outras palavras, não é necessário entender nem aprender programação. Nem mesmo é necessário conhecer webdesign, pois templates podem ser comprados ou encomendados a alguém (além dos gratuitos).

Mas o mais importante é que para a criação de conteúdo não é necessário conhecimento técnico nenhum, somente algum treinamento na utilização do "frontend". Assim, finalmente pessoas leigas em webdesign (que serão os autores, editores e publishers do Joomla) podem criar, editar e publicar artigos quando ELES desejarem e sem entender nada de HTML e linguagens de programação. Essa é uma possibilidade, que convenhamos, há muito foi prometida mas que somente agora está começando a ser cumprida graças aos content management systems.

Sistemas CMS como o Joomla permitem que um website ou portal razoavelmente complexo seja criado com uma rapidez e baixo custo impossíveis de serem obtidos através do desenvolvimento tradicional, partindo "do zero". Adicionalmente, permitem que usuários leigos em webdesign possam contribuir com conteúdo diretamente sem precisar de intermediários.

Grandes empresas e instituições que já usam o CMS Sites Joomla!

Para terminar uma curiosidade: o nome Joomla vem do equivalente fonético da palavra Swahili "Jumla", que significa "todos juntos" ou "como um todo".

Fonte: Davi Marski Adaptado por: Thais Vieira